quarta-feira, 9 de abril de 2014

Minha opinião sobre: a situação política, social e econômica do país?

Nenhum comentário:

 

Politicamente o país é um fracasso. Escândalos atrás de escândalos. Fraudes atrás de fraudes. Recentemente, um amigo me disse: "você já exerceu menos o papel de cabo eleitoral". Espera! Cada dia me sinto menos seguro e mais exposto à violência urbana e injustiças. Não posso reivindicar por melhorias? Aaaaaaaaah! Lembrei. Aqui não se pode criticar quem está no poder. Eu, Alan Queiroz, vou continuar sendo crítico, reclamando, exigindo, esbravejando e batendo o pé. Eu quero perceptivas melhores. Eu quero sentir as mudanças.

O Brasil está patinando economicamente e quando nós, jornalistas, falamos e criticamos a forma como o país está sendo governado, os "companheiros" militantes acham que é complô pra derrubar o governo PT. Complô? Não há como comparar governos nem países. São épocas distintas e cada país tem políticas públicas diferentes. O governo vive jogando dinheiro no mercado, maquiando resultados e dando incentivos sem organização.

Acho engraçado, o brasileiro só se interessa por política em ano eleitoral. Se a população tivesse acesso a revista Carta Capital ficaria estarrecida em ler como as lambanças do atual governo afeta os empresários brasileiros - e consequentemente os funcionários. Não podemos esquecer do dinheiro público indo pro ralo da corrupção à reviria. Eu quero saber quando ouviremos notícias boas sobre o Brasil?

Eu acho tão normal quando leio que em países desenvolvidos os meios de comunicação tomam partido de situações que afetam a população - e nem por isso perdem a credibilidade. Não temos partidos políticos bons, por isso temos que escolher os menos piores. Acredito que precisamos mudar, pois já vimos demais. O governo omisso, o sistema é corrupto e a Justiça é falha.

Vou resumir pra você o atual governo: Mensalão, Petrobras, Porto de Mariel, Financiamento de ditaduras, Eletrobras, aumento da inflação, Contabilidade criativa, Pibinho, Caos na Saúde Pública, Falta de investimento na Educação ... chega! Não quero ver nosso dinheiro evaporando. Precisamos aprende a reclamar, exigir, criticar e votar.

domingo, 6 de abril de 2014

Minha opinião sobre: o possível afastamento de Rachel Sheherazade?

Nenhum comentário:


Boicotar a Sheherazade significa uma afronta e um insulto à liberdade de expressão. O grupo de fascista da política brasileira está a dois passos à frente. Primeiro, o jornalista Paulo Eduardo Martins, comentarista da Rede Massa, foi tirado do ar porque criticou o governo do PT. Segundo, a Rachel foi afastada porque manifestou a sua "liberdade de expressão" sobre uma reportagem de revolta popular. Espera! Estamos vivendo em Cuba, China ou Coreia do Norte? 

Aqui no Brasil está assim: falar de assuntos corriqueiros ou falar mal do governo você é taxado como "reacionário" ou "neoliberal" e recebe o título de "anarquista". Convenhamos, discordar de uma opinião é diferente de censura-la. A bancada petista e base aliada essa hora dá altas gargalhadas . A "liberdade de expressão" é tão desrespeitada como toda a Constituição e o Código Civil Brasileiro. Já foram dois jornalistas calados pelo jogo de interesses e a vontade de mostra serviço em ano eleitoral. Quem será o próximo? Eu? O Brasil vive de programas assistencialistas e tem uma população dependente de um governo fanfarrão. Ninguém quer saber de trabalhar e vira essa baderna. Cometer crimes está sendo mais vantajoso que trabalhar. Aliás, o brasileiro trabalha tanto para ver o governo drenar o salário com tantos impostos. Nem vou comentar sobre inflação. 

Não posso ser hipócrita e dizer que não fizeram nada, sim, lógico que fizeram. Mas o rombo é maior que as benfeitorias... A pior parte da censura é o [CENSURADO] . Esqueça tudo que você sabe sobre "liberdade de expressão", pois ela é igual ao Coelhinho da Páscoa. Não existe. (Alan Junior de Queiroz)

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Minha opinião sobre: o erro do Ipea?

Nenhum comentário:
 

"O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão do governo federal, se corrige e diz que são 26%, e não 65%, os que apoiam ataques a mulheres. Instituto errou ao divulgar pesquisa sobre estupros. Assim que erro foi constatado, diretor de Estudos e Políticas Sociais pediu exoneração"

Eu não consigo acreditar que o Ipea errou ao computar os dados daquela pesquisa. A única coisa que realmente mudou nas últimas horas: descobrimos que o Ipea não é muito confiável. Mas o machismo continua o mesmo. 

Eu repudio qualquer tipo de agressão e abuso contra mulheres, crianças, idosos, animais, homens... Eu fico feliz com a correção, Mas mobilização deve continuar.. O único lado positivo dessa confusão foi o fato e ter chamado atenção para um assunto que antes não tinha tanto visibilidade. O Instituto em breve deve lançar a campanha #EuNãoMereçoSerZoado (merece sim). Aliás, quem tiver interesse, mande seu currículo pro Ipea. Tenho certeza que hoje abriu umas vagas por lá.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Minha opinião sobre: os crimes cometidos por menores?

Nenhum comentário:




Os educadores que se diziam contra bater em criança devem estar arrependidos. Aos poucos, estão vendo às consequências da falta de um corretivo quando se é mais novo. Os pais têm duas escolhas: dão corda ou puxam as rédeas. No meu caso, os meus pais sempre tiveram o controle das rédeas e me impediram de seguir caminhos errados. Sim, recebi infinitas vezes o bom, belo e dolorido corretivo. Na hora a gente fica bravo, quer fugir de casa, fica magoado com a mãe ou com o pai. Mas isso passa. Hoje, vejo que àqueles tapas e àquelas chineladas me serviram para estabelecer limites. Me mostrou que as coisas nem sempre são do jeito que eu quero e da forma que eu quero. Me ensinou a ter respeito com as pessoas. O problema desses menores é simplesmente a falta de um com cabresto. E não é o governo que tem que por, e sim os próprios pais.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Minha opinião sobre: o golpe militar de 1964?

Nenhum comentário:
 
Classifico como um pesadelo que durou 21 longos anos. Não sou da época, mas já ouvi e li muita coisa sobre esse filme de terror da vida real. Infelizmente esse fato é uma ferida aberta na história do Brasil. Não existe remédio nem curativo para algo que machucou a alma. Não existe oração que conforte os corações das pessoas que perderam entes queridos. Não existe justificativa pra tamanha violência. Não existe justiça capaz de punir os responsável pelos milhares de mortos, desaparecidos, torturados e exilados. Não existe nada além dessa sensação de desconforto. Não temos nada a comemorar. O País não consegue acertar as contas com o passado, mesmo sendo comandado por uma vítima do tortura. É impossível mudar a história, o certo é virar a página.