Minha opinião sobre: a decisão do STJ sobre os Testemunhas de Jeová

15:19:00 1 Comments A+ a-


Nessa semana, dois ministros do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) concederam um habeas corpus a um casal seguidor da religião Testemunhas de Jeová que impediram médicos de fazerem transfusão de sangue em sua filha. Devido a isso, a garota morreu. O caso aconteceu em 1993 e o casal foi preso sob a acusação de homicídio.

Respeito todas as religiões, e, por isso, evito fazer comentários sobre qualquer credo/dogma, mas, nesse caso, não me contive. Que Deus é esse que eles, os Testemunhas de Jeová, servem que é contra a vida? Repito: uma criança de 13 anos morreu. 

Colocar preceitos religiosos primitivos acima da vida é um tremendo retrocesso. Respeito, mas discordo desse "conceito religioso". Deixar a própria filha morrer por causa da Bíblia ainda não é considerado "sacrifício humano" ou um "ritual"? Por que procurar um Hospital se não quer viver? Repito, independente de concordar ou não com a crença deles, temos que respeita-los. Mas eu, Alan, acredito que quando quem necessita de ajuda é um menor de idade - o médico deveria ser soberano. As vezes o menor nem tem intenção de seguir os dogmas dos pais.  

Reza a Constituição Federal que o Estado é laico. Ou não? O STJ errou! Os ministros não devem se submeter as pressões ou ter inclinações à crenças religiosas. Essa menina foi ASSASSINADA pelos pais. Cadeia neles!  Cadeia no médico também. A Constituição também garante direito à vida. Ou não?
Aliás, as leis brasileiras estão confusas iguais os textos bíblicos. Cada um interpreta à sua maneira. Não houve proteção do direito à vida desta criança, independente da religião dos seus pais. Aproveitando o embalo... Vamos liberar a eutanásia, o homicídio, o aborto, a pena de morte, as drogas, a direção sob o efeito de álcool... Aliás, todos vamos ressuscitar no final mesmo.

1 COMENTE AQUI ESSA MATÉRIA:

Write COMENTE AQUI ESSA MATÉRIA
Anônimo
AUTHOR
23 de junho de 2015 07:14 delete

amigo sei que vc deve ser muito atarefado mas ao sobrar um tempinho peço por gentileza pra você se aprofundar um pouco mais em suas pesquisa a respeito deste assunto vocêc notará que muitos médicos chegaram a uma conclusão que usar transfusão de sangue de uma pessoa pra outra acarreta em muitos malefícios pra quem recebe, existe na área da medicina muitos médicos que realizam trabalhos que não é colocado sangue em pacientes no qual os paciente se recuperam bem mais rápido , no you tube tem uma reportagem do globo repórter reafirmando o que te acabo de dizer obrigado .

Reply
avatar

Bem Vindo ao blog Alan Junior de Queiroz!

Lista de regras para fazer comentários!
Então, antes que você só dê trabalho pra gente, dá só uma olhada...

1. Xingamentos gratuitos serão deletados sem dó. Tá nervosinho? Vai falar pra sua mãe.
2. Spams, propagandas ou qualquer coisa que faça você linkar seu blog ou algo do tipo por aqui, fará com que seu comentário seja editado. A não ser que o link possa realmente acrescentar algo ao texto e aos comentários.
3. Não fuja do assunto. Quer falar do seu vizinho? Faça um Twitter.
4. Recebeu um comentário(réplica) ácido e não gostou? Foi você quem pediu.
5. Escreva com conteúdo. E, por favor, ESCREVA CORRETAMENTE. Sabe, nós, pelo menos, TENTAMOS escrever da maneira correta para vocês; bem que vocês poderiam fazer o mesmo por nós, né? Então, faça um esforço pra não escrever feito um retardado e elabore seu comentário. Floods, flames ou qualquer outra coisa inútil será deletada.

Acima de tudo, comente apenas se você tiver algo para comentar. Acredite, quando com conteúdo, seu comentário é bem-vindo. Nós lemos todos os comentários, sem exceção. Se você for bonzinho, a gente aprova seu comentário. Após o primeiro comentário aprovado, seus próximos comentários serão aprovados automaticamente.

PS: Nós não nos responsabilizamos pelos comentários publicados aqui. Essa é uma área aberta para os visitantes do site expressarem sua opinião.
Manda ver:

Para contato, críticas, chorume e reclamações que não perguntei alanjuniordequeiroz@hotmail.com.br. Não que a sua opinião tenha importância ou fará diferença para mim.