Celular: comunicação que faz mal

20:34:00 0 Comments A+ a-

(*)Alan Junior de Queiroz

Parecem irreversíveis os problemas causados pelo avanço tecnológico, o maior deles é o vicio pelo aparelhos celulares. Enquanto locomovemos podemos nos comunicar com qualquer pessoa no mundo, em tempos que tablets, smartphones, notebooks, aparelhos 3D e iPads estão por toda parte.

Dormimos e acordamos com nossos celulares, levamos a mesa na hora das refeições e até mesmo no banheiro; podemos nos deparar com a típica cena de pessoas digitando em qualquer hora do dia. Estamos tão viciados que não conseguimos ficar mais de um minuto sem olhar para ele, existem ainda os que têm a impressão de ouvirem e sentirem o aparelho vibrar – sem mesmo sequer ter recebido nada.

 Seja qual for à situação têm pessoas olhando para tela do celular, escrevendo mensagens: enquanto conversam, enquanto namoram, enquanto dirigem, enquanto assistimos televisão, durante reunião, durante as aulas, diante a qualquer situação. O pior é que, agora, podemos ser localizados em qualquer lugar e em qualquer hora. Fim da privacidade?

As pessoas, já viciadas, se estiverem impossibilitadas de se comunicar através de celulares – por causa da falta de créditos ou bateria – começam a ficar angustiadas; e recentemente ganhou o nome de Nomofobia, que caracteriza esse desconforto de ficar sem o aparelho móvel. Sim, agora já é considerado uma doença. Para os mais dramáticos, tirar o celular de seu domínio e a mesma coisa que amputar um braço. Ficam limitados.

Dificilmente encontraremos pessoas defendendo a volta do mundo antes desses aparelhos digitais - a reversão devido às proporções que já chegou já e vista como impossível. Eliminar tal conforto alteraria o comportamento e hábito de muitas pessoas.

Através deles, acessamos nossos perfis nas redes sociais, mandamos e recebemos mensagem, lemos as noticias, tiramos fotos, ouvimos musicas, assistimos vídeos, e mais, extinguimos as cartas, e estamos assistindo a morte dos telefônicos públicos, ninguém está imune e não á vacina contra isso. Os números não mentem e apenas impressionam: no Brasil tem mais celulares do que pessoas. Eles são grandes, pequenos e de todos formatos.

Vamos assumir que não sabemos a hora de desconectar e nos livrar nessa dependência, sem o sentimento de culpa e angustia. A principio era apenas de ferramenta de voz com objetivo de facilitar o contato ou suprir a falta de tempo para nos encontramos pessoalmente com familiares e amigos, hoje se tornou uma poderosa arma de comunicação incontrolável – e viciante.


(*)Alan Junior de Queiroz é estudante de Comunicação Social - Jornalismo da Faculdade do Norte Pioneiro(Fanorpi).   

Bem Vindo ao blog Alan Junior de Queiroz!

Lista de regras para fazer comentários!
Então, antes que você só dê trabalho pra gente, dá só uma olhada...

1. Xingamentos gratuitos serão deletados sem dó. Tá nervosinho? Vai falar pra sua mãe.
2. Spams, propagandas ou qualquer coisa que faça você linkar seu blog ou algo do tipo por aqui, fará com que seu comentário seja editado. A não ser que o link possa realmente acrescentar algo ao texto e aos comentários.
3. Não fuja do assunto. Quer falar do seu vizinho? Faça um Twitter.
4. Recebeu um comentário(réplica) ácido e não gostou? Foi você quem pediu.
5. Escreva com conteúdo. E, por favor, ESCREVA CORRETAMENTE. Sabe, nós, pelo menos, TENTAMOS escrever da maneira correta para vocês; bem que vocês poderiam fazer o mesmo por nós, né? Então, faça um esforço pra não escrever feito um retardado e elabore seu comentário. Floods, flames ou qualquer outra coisa inútil será deletada.

Acima de tudo, comente apenas se você tiver algo para comentar. Acredite, quando com conteúdo, seu comentário é bem-vindo. Nós lemos todos os comentários, sem exceção. Se você for bonzinho, a gente aprova seu comentário. Após o primeiro comentário aprovado, seus próximos comentários serão aprovados automaticamente.

PS: Nós não nos responsabilizamos pelos comentários publicados aqui. Essa é uma área aberta para os visitantes do site expressarem sua opinião.
Manda ver:

Para contato, críticas, chorume e reclamações que não perguntei alanjuniordequeiroz@hotmail.com.br. Não que a sua opinião tenha importância ou fará diferença para mim.