Fiasco de bilheteria - Qual o problema das produções nacionais?

16:33:00 0 Comments A+ a-

*Alan Junior de Queiroz

Para ver em tamanho maior - clique na imagem.
Uma troca de caixas, acidental, na recepção do condomínio destruiu a carreira sólida de Alice (Ingrid Guimarães) e a aproximou da sua vizinha Marcela (Maria Paula), dona de um Sex Shop e que dá aulas de orientação sexual. Alice sempre deu prioridade a suas atividades do trabalho e deixava como segunda opção assuntos de casas, assim não sobrando tempo para o filho e o marido. Forçada a enxergar que não estava tendo tempo para ser feliz, inclusive na vida sexual, aceita os conselhos da nova amiga, com objetivo de reconquistar o maridão, João (Bruno Garcia) que a deixou, agora ela está desempregada e abandonada. As duas fizeram uma sociedade de negócios que foi sucesso. A história é do filme mais assistido de 2011 nas salas de cinemas espalhadas pelo Brasil, o nome é "De Pernas pro Ar", que foi lançado no dia 31 de Dezembro de 2010. Foram mais de 3 milhões de espectadores ( 3.547.138).

"De Pernas pro Ar" não está na lista dos 96 filmes nacionais lançados só em 2011, porque estreou no últmo dia de 2010. A quantidade de filmes lançados foi um recorde, vinte a mais do que ano anterior. Segundo a revista VEJA, apenas sete filmes levaram mais de 1 milhão de pessoas aos cinemas, e são eles: Cilada.com, Bruna Surfistinha, Assalto ao Banco Central, Muita calma nessa hora, O palhaço, Qualquer gato vira-lata e O homem do futuro. Mas o que teria ocasicionado para que os filmes fossem sucessos e outros fiascos? Pra que adianta quantidades e bater recordes de produções, sendo que dos 96 lançamentos, 32 conseguiram menos de 1000 pessoas. Nenhum título brasileiro aparece entre os top 10 divulgados pelo portal Filme B em nenhuma momento do ano, só da filme gringo.

A falta de salas de cinemas em cidades do interior do país é o principal fator para a pirataria ganhar força. Não há duvidas, pois todos querem ter acesso a produções sejam elas nacionais ou não. Existem um projeto no Brasil chamado "Projeto Cinema no Interior" (http://www.cinemanointerior.com.br) que consiste levar conhecimento a lugares menos favorecidos. Além de incentivar com produção e exibição na comunidade.O projeto é bom e deveria ter mais investimento do governo.

E as locadoras? O fim das locadoras parace algo irreversível, para se ter idéia do que falo, só pensar quantas locadoras tem na sua cidade ou até mesmo na região onde mora. No United States as locadoras ganharam mais um concorrente,a Netflix, que chegou ao Brasil em setembro de 2011, e uma empresa americana que desde 1997 entrega filmes pelo correio.

O cinema nacional caracteriza com excesso o sofrimento do povo brasileiro. Os maiores sucessos de bilheteria, até hoje, são filmes que mostram favelas, tráficos de drogas, prostituição e uso de palavrões sem necessidades. E são esses filmes que são levados para o mercado internacional, cheio violência, fazendo com que toda população pareça ser cidadões não civilizados ( Não estou dizendo que toda essa violência e o linguajar mostrada nos filmes não exista ). Mas quem quer ir ao cinema para ver a realidade nua a crua, pelo menos se conscientizasse os governantes e a população. Os filmes internacionais talvéz façam sucessos porque buscam mexer com a fantasia dos espectadores.

*Alan Junior de Queiroz é estudante de Comunicação Social - Jornalismo da Faculdade do Norte Pioneiro(Fanorpi).
Fontes: Revista Veja (edição 2247 - 14 de dezembro de 2011) e portal Filme B.

Bem Vindo ao blog Alan Junior de Queiroz!

Lista de regras para fazer comentários!
Então, antes que você só dê trabalho pra gente, dá só uma olhada...

1. Xingamentos gratuitos serão deletados sem dó. Tá nervosinho? Vai falar pra sua mãe.
2. Spams, propagandas ou qualquer coisa que faça você linkar seu blog ou algo do tipo por aqui, fará com que seu comentário seja editado. A não ser que o link possa realmente acrescentar algo ao texto e aos comentários.
3. Não fuja do assunto. Quer falar do seu vizinho? Faça um Twitter.
4. Recebeu um comentário(réplica) ácido e não gostou? Foi você quem pediu.
5. Escreva com conteúdo. E, por favor, ESCREVA CORRETAMENTE. Sabe, nós, pelo menos, TENTAMOS escrever da maneira correta para vocês; bem que vocês poderiam fazer o mesmo por nós, né? Então, faça um esforço pra não escrever feito um retardado e elabore seu comentário. Floods, flames ou qualquer outra coisa inútil será deletada.

Acima de tudo, comente apenas se você tiver algo para comentar. Acredite, quando com conteúdo, seu comentário é bem-vindo. Nós lemos todos os comentários, sem exceção. Se você for bonzinho, a gente aprova seu comentário. Após o primeiro comentário aprovado, seus próximos comentários serão aprovados automaticamente.

PS: Nós não nos responsabilizamos pelos comentários publicados aqui. Essa é uma área aberta para os visitantes do site expressarem sua opinião.
Manda ver:

Para contato, críticas, chorume e reclamações que não perguntei alanjuniordequeiroz@hotmail.com.br. Não que a sua opinião tenha importância ou fará diferença para mim.